No dia 22 de fevereiro, foi confirmada a morte de Bruna Andrade, treinadora de Florianópolis e jogadora de Pokémon GO, vítima de transfobia. A jogadora (que usava o nick de Onlynabru), será homenageada pela comunidade de GO da cidade, que planeja fazer um mural em homenagem a ela, que pode ser transformado em PokéStop em um futuro próximo.

Algo similar ocorreu com o ex-streamer Etika esse ano (uma grafite foi feita em homenagem a ele e transformada em PokéStop em Nova York)

Para isso, foi criado um financiamento coletivo para financiar o material da grafite. Várias pessoas na comunidade se uniram e contribuíram com diversos valores. Assim, o financiamento coletivo conseguiu ultrapassar a meta em uma velocidade surpreendente, de forma que o mural será construído.